BARREIRAS DO BOQUEIRÃO, EM MARAGOGI

O nome Boqueirão, para milhares de adolescentes e adultos no ano de 1995, ficou familiar através de uma música do grupo Mamonas Assassinas, que dizia: “Subiu a Serra me deixou no Boqueirão, arrombou meu coração, depois desapareceu”. Se a música ainda não havia despertado a sua curiosidade pelo lugar com a origem deste nome, conheça abaixo informações este povoado deslumbrante pela própria natureza e com seus atrativos destinados ao público jovem.

Pouco explorada, muitos consideram a praia de Barreiras do Boqueirão semisselvagem. O mar no local é denso, com ondas fortes, que formam erosões na areia. As altas ondas fazem do lugar o mais indicado para quem quer surfar.

As fortes ondas avançaram em alguns trechos e por isso a Igreja de Barreiras de Boqueirão, foi destruída pelo mar e atualmente só conservam-se suas ruínas, que são ponto de visita e cartão postal da vila. A praia tem a forma semelhante a de uma enseada, com barreiras longas que possibilitam, do alto, uma vista panorâmica do povoado. Para completar o visual paradisíaco, tem ainda as piscinas naturais com recifes de corais, que geralmente são visitadas através de passeios com jangadas.

A praia também é conhecida como Praia das Bicas por ter em suas redondezas duas fontes naturais de água mineral. Esta humilde vila de pescadores, fica na cidade de Japaratinga, a 15 quilômetros de Maragogi e a 102 de Maceió, é muito procurada por aventureiros que gostam de praticar o Surf. A praia apresenta dois “picos” propício a prática desse esporte tão radical.

As trilhas ecológicas também são opção para quem não quer ficar parado em Barreiras do Boqueirão. Leve sua bicicleta ou alugue uma e conhece toda a extensão da praia. O vilarejo possui algumas pousadas pra quem deseja se hospedar próximo à orla, e para completar a viagem, na beira-mar existem vários bares despojados que atraem principalmente os jovens turistas.

Veja também:

Por